Muitas são os estudos comportamentais, sociológicos, psicológicos e até médicos sobre o ato de se presentear, mas, vamos aqui, por um caminho mais livre e informal que, afinal, todos possuímos desta vivência tão inserida em nosso cotidiano.

Evidente, que uma das formas históricas clássicas ocidentais de visualizar este ato está contido na imagem de natal dos três reis magos com presentes para o menino Jesus.

O fato é, que de alguma maneira, é um das atitudes mais antigas entre a espécie humana e tem sido um alicerce nas relações entre os povos de todas as culturas e tradições, ou seja, é uma prática universal permeada das mais diferentes interpretações e significações….

Abrange, desde alguns aspectos mais evidentes e concretos, como formas de demonstração de agradecimento, estima, pedido de perdão, retribuição, fidelidade, carinho, status, conquista, entre outros, passando por protocolos sociais, celebrações e rituais, até aspectos muito mais intangíveis, abstratos e simbólicos que permeiam e são inerentes ao relacionamento humano.

Em todo ato de presentear, de alguma forma, está implícito alguma forma de mensagem para o “outro”, ou, ainda, para consigo mesmo…mas, com certeza é carregado de significado e simbolismo, que extrapola em muito, apenas o conteúdo material do presente.

É nesta dimensão da interação humana, que encontramos alguns dos elementos mais interessantes no ato de se presentear tais como o altruísmo, a generosidade, a gratidão e a empatia, sejam estes no âmbito social, familiar ou empresarial, mas que de alguma forma, estão ligados a conexão com o outro, com o próximo , com a sociedade e com a comunidade que estamos inseridos.

Esta atitude é capaz, já comprovado cientificamente, de ativar a liberação de hormônios que combatem a tristeza, proporcionando uma sensação de prazer e bem-estar, inclusive para quem presenteia.

Todos estes aspectos estão, de alguma forma, implícitos e representados no presente , através do conteúdo, da embalagem, da criatividade, da identidade, do cuidado e do conjunto do ato e como um todo.

Seja a finalidade que for, desde uma forma de estreitar vínculos com um cliente, fornecedor ou funcionário até aprimorar laços sociais, confraternizar, agradecer, celebrar e amar, não importa em que nível se dê, aqui chegamos ao ponto central que, de alguma maneira, sempre está presente nesta atitude o “cuidado com o outro”, ainda que, em alguns momentos, o outro possa ser você mesmo…

Portanto, presentear com originalidade, carinho e afeto é uma forma de espelhar em suas relações a importância que cada pessoa e momento merece.

Equipe Sense By Ana Claudia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *